sexta-feira, 1 de julho de 2011

Assassinatos & Milagres

A História dos Santos Lageanos

Por volta da 1902, o gaúcho Ernesto Canozzi, de Porto Alegre, era um caixeiro viajante que percorria a região de Lages para vender tecidos, acompanhado de Olintho Pinto Centeno, que puxava as mulas.
ERNESTO CANOZZI
Certa noite, ele comentou com o funcionário que tinha uma carta de recomendação de Vidal Ramos para casar com a jovem Emília Ramos.
Na mesma época, dois irmãos italianos, de sobrenome Brocatto, cometeram um assassinato em seu país natal, e fugiram para o Marrocos, depois Buenos Aires e Porto Alegre. Por onde passavam, praticavam crimes.
Um deles estudou Medicina em Caxias do Sul, mas não concluiu o curso. Assim, os dois saíam com diplomas falsos de médico e farmacêutico.
Chegando em Lages, o falso farmacêutico apaixonou-se por Emília, e soube da carta que Ernesto possuía.
Revoltado, em maio de 1902 armou uma cilada e matou Ernesto e Olintho, num crime bárbaro que chocou a comunidade.
No velório das vítimas, o assassino chorou, e sangue começou a pingar de um dos caixões. Foi quando uma senhora teria comentado que o fenômeno indicava a presença do autor do homicídio no velório.
Não muito tempo depois, os Brocatto foram presos. O falso médico foi morto pela polícia, e o outro, dentro da penitenciária de Florianópolis.
Já Ernesto e Olintho passaram a ser chamados de Irmãos Canozzi, e devido à brutalidade com que perderam suas vidas, atraíram o carisma e o sentimento de muitas pessoas.
Na visão de grande parte da população, os dois viraram santos milagreiros, já que algumas graças são atribuídas a eles.
Túmulo dos irmãos Canozzi
Sobre os seus túmulos, no Cemitério Cruz das Almas, no Bairro Triângulo, há velas, flores e mensagens com pedidos e agradecimentos.
Muitos fiéis têm o hábito de soltar a corrente em frente ao túmulo, colocá-la no chão, fazer pedidos e encaixá-la novamente.
A fé do povo é algo impressionante. Em Lages, além de homenagear familiares e amigos mortos no dia de Finados, muitas pessoas lembram de algumas consideradas santas na cidade.


Logo abaixo vocês podem assistir um curta sobre esta história



Desde pequena ouço falar neles,vasculhando a história de Lages(minha cidade),encontrei essa matéria sobre o fato.Infelizmente não há muito o que pesquisar,já que grande parte dos documentos daquela época encontra-se nos museus da cidade.


Atualização-18/08/11

O vídeo citado acima é de autoria de Fernando Leão,cujo mesmo enviou-me um email,
lembrando-me que posso encontrar mais sobre a história no Museu Thiago de Castro(Lages),como escrevi acima.
Tenho pouco tempo,porém assim q viável,farei uma pesquisa mais completa,não só sobre este caso como muitos outros que envolvem esta cidade.