domingo, 13 de outubro de 2013

Palavras...

Alô! É da emergência?!
-Sim, qual a emergência Sr.?


Tem um louco querendo se jogar da ponte aqui! Venham todos para cá! Vou tentar acalmá-lo enquanto vocês não chegam! -Hey moço, saia daí! Não se mate, a vida é bela!

-Bela merda, isso sim. -Diz o suicida.
Qual o seu nome?
-Lúcio.

Prazer, me chamo Daniel. Posso sentar aí perto de você para conversamos um pouco?
-Claro...
Por que você quer se matar? 


 -Estou endividado, acabei de perder o emprego e descobrir que a minha mulher anda me traindo.
Mas moço, mulheres tem várias no mundo, e você pode muito bem encontrar outra garota. Emprego também não é tão difícil assim, basta você procurar um pouco que vai encontrar!


-Você não é o entregador de pizza que mora na Rua "Guaporé?"
Sou sim, por que?


-Meu amigo Jonas está tendo um caso com a sua esposa.
Jonas o pedreiro?
-Sim, este mesmo.


Mas que desgraçado! Eu confiei nele por tantos anos! Mas que droga! Eu amava a minha esposa! Era tudo o que eu tinha! Meu amigo, vamos nos matar juntos, eu também quero morrer!.
-Alô! É da emergência?!
Sim, qual a emergência Senho
ra?

-Tem dois loucos querendo se jogar da ponte aqui! Venham todos pra cá! Vou tentar acalmá-los enquanto vocês não chegam! -Hey moços, saiam daí! Mas espera aí, Dr. Lúcio? É você?
-Olá Dona Marta
. -Respondeu o suicida.

Por que você quer se matar? O Sr. é um médico excelente! Trabalha em um dos melhores hospitais dessa cidade! Foi em você em que eu confiei para fazer a minha cirurgia do coração.

-Fui despedido, Dona Marta. E a propósito, a sua cirurgia foi em vão, seu coração não está mais respondendo ao tratamento, a Senhora tem menos de uma semana de vid
a.

Então eu vou morrer? Depois de tanto sofrer, depois de tantas cirurgias! Eu tomo quase 20 comprimidos por dia, luto diariamente para viver! E agora você vem me dizer que toda a minha luta foi em vão? Meus amigos, vamos nos matar todos juntos, eu também quero morrer!.

-Hey Marta! O que você está fazendo aí mulher?! Está louca? Saia daí agora! Depois de tantos anos de casado você vai me deixar assim? Se matando?

José, me desculpe. Mas tem que ser assim, eu não posso mais viver. -Responde a suicida.
-Mas Marta! Eu te amo! Pense nos nosso filhos, em nossos netos!
José, eu te trai. Nenhum deles é filho teu.


-Como você pode fazer isso Marta? Depois de tantos anos! Confiei tanto em ti, e agora você me diz que me enganou a vida toda? Criei filhos que não eram meus? Eu não quero mais viver! Deixe-me sentar aí com vocês, vamos nos matar todos juntos, eu também quero morrer!.

"Então pularam todos juntos. Nenhum sobrevivente. 10 Minutos depois a ambulância chega, e o socorrista pergunta ao rapaz que estava observando a cena... -Hey rapaz, o que aconteceu? Por que eles pularam? Por que você não fez nada para impedir? Não vai falar? Por acaso você é mudo? É surdo é?"

-Não, só não quero falar com ninguém.

E porque não?

-As palavras matam.



(P.s: Título Original não é este)


FONTE