domingo, 29 de dezembro de 2013

O suicídio ao vivo de Robert Budd Dwyer




Em uma época, onde computadores e internet não faziam parte do cotidiano – o suicídio de Robert Budd Dwyer – marcou a história do jornalismo norte-americano.

Em 1987, imprensa da Pensilvânia testemunhou o suicídio e Robert “Budd” Dwyer, 47 anos, durante uma coletiva aberta para diversos canais de televisão.

Budd Dwyer tinha sido acusado de corrupção, porém, nunca confessou sua participação.

A defensoria chegou a oferecer uma pena máxima de 5 anos caso testemunhasse a culpa, além de cooperar com as investigações, mas Budd recusou a proposta, e continuou alegando inocência.

Após concluir as investigações, a justiça decidiu que o político teria que devolver Us$ 300.000 e cumprisse 55 anos de prisão.

Um dia antes de sair sua sentença, o político convoca uma entrevista coletiva e, após um discurso inicial, entrega três envelopes para seus assessores.

Em seguida, retira de um quarto envelope um revólver Magnum 357, e avisa:

— "Por favor, deixem o recinto se isto os ofende. Afastem-se esta coisa vai machucar alguém."

A plateia apavorada solicitou para que Budd abaixasse a arma.

“Budd, não” — ouviu-se na transmissão.

Ignorando os clamores, o político enfiou o cano do revólver na boca e puxou o gatilho. Ele caiu no chão, em frente às câmeras de cinco emissoras de TV.

Dentro dos envelopes continham uma carta de suicídio para sua esposa, o segundo havia uma autorização para doação de órgãos e, no terceiro, uma carta para o recém-empossado governador da Pensilvânia, Robert P. Casey.



Logo abaixo tem um vídeo do suicídio. Cenas fortes.

 
Para saber mais, acesse o link: http://pt.wikipedia.org/wiki/Budd_Dwyer


Fonte